Competição reuniu os principais nomes do país da modalidade em cinco etapas; Saquarema foi o palco das grandes finais 

A nata do bodysurf brasileiro se reuniu em um evento inédito no país, que representou a tradição da modalidade presente nas praias de todo o Brasil. O circuito nacional Kpaloa Brasileiro de Bodysurf visitou cinco picos ao longo do ano, proporcionou um espetáculo de manobras e consagrou seus campões no último domingo, dia 22, na Praia da Vila, em Saquarema, Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

A competição contou com disputas em duas categorias principais, o bodysurf (surfe de peito) e handsurf (praticado com pequena prancha em uma das mãos, o handplane), com o somatório das performances nas categorias decidindo a classificação geral pro. E nela, Gabriella Vilar e João Foca levaram a melhor e sagram-se campeões brasileiros em 2019.

A carioca Gabi Vilar, de apenas 13 anos, decolou na classificação com uma série de bons resultados nas três últimas etapas da temporada, deixando para trás as demais 17 competidoras. A experiente Briguitte Lin largou na frente ao vencer a primeira etapa, e conquistou a segunda colocação geral. Raiza Silveira completou o pódio entre as mulheres na terceira posição.

No masculino, total de 79 competidores foram para a água durante as cinco etapas da competição. Regular durante toda o ano, João Foca conquistou ótimo resultado na penúltima etapa e encostou na liderança. Em Saquarema, conquistou a liderança e faturou o título de campeão brasileiro de bodysurf 2019. Líder até o início da última etapa, Léo Moura terminou no segundo lugar geral, enquanto Mateus Barbosa ficou com a terceira colocação no pódio.

Nesta etapa, além das categorias Bodysurf Pro Masculino, Bodysurf Pro Feminino, Handsurf Pro Masculino e Handsurf Pro Feminino, o Kpaloa Brasileiro de Bodysurf também premiou atletas mais jovens, futuro do bodysurf nacional (categoria júnior), máster, local, e uma categoria especial para homenagear os bombeiros guarda-vidas, denominada de Heróis Guarda-Vidas. Kalani Lattanzi, o famoso waterman desbravador de mares faturou o Bodysurf Pro Masculino, Rayza Silveira, um talento, brilhou e faturou tanto o bodysurf quanto o handsurf Pro feminino. Já Nilton Luís “Tainha”, representando Pernambuco e com um estilo de surf muito bonito de se ver, conquistou tanto a categoria Handsurf Pro Masculino quanto a Heróis Guarda-Vidas. Na categoria Júnior, quem levou a melhor foi Cauã Tolstoy, e na máster e local, os campeões foram respectivamente Rodrigo Soares e Kaio Fonseca.

O circuito nacional Kpaloa Brasileiro de Bodysurf foi idealizado e patrocinado pela Kpaloa, uma empresa nacional, fundada em 1983 e especializada na fabricação de nadadeiras de alta performance, organizado em parceria com a Associação de Surfe de Peito, a ACSP, e visitou cinco praias, sendo elas alguns dos paraísos do surfe brasileiro. A competição teve início em abril na Guarda do Embaú, Santa Catarina, e seguiu para Porto de Galinhas, em Pernambuco. A terceira etapa aconteceu em Itacoatiara, em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, enquanto as ondas perigosas da Barra do Jucu, em Vila Velha, Espírito Santo, desafiaram os participantes na penúltima parada antes da decisão em Saquarema e da consagração no “Maracanã do Surfe”.